Home | Agenda Portal | Cidades | Tecnologia | Webmail               

 

Seu IP: 54.226.4.91


Publicidade

Publicidade ...

Vale Tudo


10-02-2019

Aplaudido de pé, Anderson sabe: chegou o final da genial carreira

Dois anos afastado do octógono e perto dos 44 anos, Anderson Silva fez ótimo combate com Adesanya, seu 'sucessor'.  Mas a incrível carreira está no fim

São Paulo, Brasil

Foi a luta do presente contra o passado.

Um choque de gerações.

Ambos provocadores, talentosos, imprevisíveis.

Inegável que o invicto nigeriano Israel Adesanya, especialista em kickboxing e boxe, tem Anderson Silva como ídolo. 

Além do talento natural, a explosão muscular, o improviso, a impressionante rapidez de movimentos, vários movimentos de luta foram copiados do brasileiro.

Adesanaya não nega. Pelo contrário, descobriu um caminho para seguir no MMA.

E Dana White soube muito bem escolher o adversário para o retorno daquele que foi o maior lutador de todos os tempos no UFC. Colocou no caminho de Anderson Silva não um clone. Mas um lutador dotado de inúmeros recursos, imprevisível, provocador e efetivo. Cuja semelhança de estilo é inegável.

Como o ranking do UFC não tem valor algum, diante do poder financeiro do pay-per-view, Dana já prometeu que o vencedor da luta disputaria o cinturão dos médios. Atropelou sem dó os melhores rankeados que Anderson. E acertou nos dois alvos.

No choque de gerações, havia a torcida para Anderson que, em abril, completará 44 anos. Diante do nigeriano, com apenas 29 anos. Não só os australianos que estavam em Melbourne, acompanhando o confronto, como os fãs de mais de 200 país que acompanhavam o combate. Todos sabiam que Silva estava disputando uma das últimas lutas na carreira. E que ela só seria prolongada se viesse a vitória, com mais uma disputa de título.

E também daria chance para a confirmação do talento de Israel Adesanya. Se vencesse uma das grandes lendas do MMA, se tornaria ainda mais importante, mais atraente financeiramente em um confronto pelo cinturão.

A expectativa e o respeito pela volta de Anderson Silva, depois de dois anos afastado, era tanta que até o motivo que deixou um dos brasileiros longe do octógono ficou para trás. Ter sido pego pela segunda vez nos exames antidoping.

O que importava era o combate.

E o que se viu foi supreendente.

Anderson Silva mostrou porque é um dos maiores lutadores de todos os tempos.

Ele sabia muito bem que estava sem ritmo e que não tinha a mesma explosão muscular, velocidade, força e agilidade do ótimo Adesanaya.

E o que fez?

Aproveitou que era ídolo assumido do nigeriano e se impôs psicologicamente. O intimidou. O desconforto do adversário, quase 15 anos mais novo, quando o brasileiro o chamava para a trocação e ordenava que fosse lutar o encurralando, de propósito, na grade, era evidente.

Mas se tinha o domínio emocional do confronto, Anderson era derrotado pelo implacável tempo. A juventude se impôs na troca de golpes. O décimo de segundo que Adesanya tinha de vantagem nos chutes, nos jabes, cruzados, nas cotoveladas, foi decisivo. Nos três rounds, a vantagem mínima pesou.

E Anderson ajudou o rival.

Seguindo sua tola mania de baixar a guarda, para mostrar que o movimento em pêndulo é mais rápido que os diretos e cruzados dos adversários, ele ofereceu o rosto para vários golpes do nigeriano.

 

A histórica luta contra Forrest Griffin, quando humilhou o norte-americano só com a movimentação do seu corpo, com os braços abaixados, aconteceu em 2009, há dez anos.

Adesenaya se aproveitou nas duas vezes que Anderson Silva quis brincar. O acertou e, como os juízes tinham obrigação de fazer, deram pontos ao lutador africano.

O brasileiro teve uma performance impressionante. Mostrou porque será respeitado para sempre. Mereceu toda a torcida, os gritos de "Silva, Silva, Silva", dos australianos, torcendo muito pelo brasileiro. Mereceu ser aplaudido de pé. Com sua técnica impressionante, acertou jabes, cruzados em contragolpes velozes. Faltou a contundência que desapareceu com a idade. E, ousado, tentou vários chutes rodados, que passaram raspando a cabeça do nigeriano. Se um deles acertasse, a história seria outra.

Não houve nenhum golpe contundente, a não ser um cruzado de Adesenaya no início do combate. Mas a vitória do africano, por pontos, foi incontestável: 29-28, 30-27, 30-27.

A hérnia do campeão dos médios Robert Whittaker, que exigiu duas cirurgias às pressas, cancelou o confronto com Kelvin Gastelum, na luta que seria a principal do UFC 234.

O destino fez com que toda a atenção, em um card fraco, ficasse para o combate de Anderson.

E ele fez muito mais do que se esperava.

Foi, com toda a justiça, aplaudido de pé.

Pelo seu passado, por vitórias incríveis no UFC. 

Os pecados mortais, como a perda do cinturão por brincar, com a guarda baixa diante de um adversário inferior, como Chris Weidman, e os dois dopings confirmados, foram esquecidos.

"Eu estou muito feliz, caras. Quero agradecer a Deus por me dar mais uma chance de vir e fazer meu melhor. Amo meu trabalho. Sei que é duro, este cara é incrível, é forte. Mas este é meu coração, por isso continuo lutando. Muito obrigado a cada pessoa que veio aqui hoje.

Quero lutar em Curitiba, minha cidade."

Pediu Anderson, com o olho direito inchado. Ele quer participar do card de maio, na capital do Paraná.

Muito provavelmente para se despedir do UFC.

Sabe que seu tempo no maior evento de MMA do mundo passou. Não há como disputar o cinturão. Lutadores importantes que enfrentou já saíram da competição. Como Vitor Belfort, Michael Bisping, Dan Henderson, Rich Franklin e Chael Sonning.

E o brasileiro, por sua carreira espetacular, já está milionário faz tempo.

"É como se, se eu jogasse basquete, se eu jogasse contra Michael Jordan. Anderson, obrigado, meu amigo, você vem fazendo isso há muito tempo", disse, honrado, Israel Adesanya.

Anderson Silva fez história.

Mostrou seu talento impressionante outra vez.

Quem viu o seu auge não esquecerá jamais.

O tempo passou rápido demais...

 

A histórica luta contra Forrest Griffin, quando humilhou o norte-americano só com a movimentação do seu corpo, com os braços abaixados, aconteceu em 2009, há dez anos.

Adesenaya se aproveitou nas duas vezes que Anderson Silva quis brincar. O acertou e, como os juízes tinham obrigação de fazer, deram pontos ao lutador africano.

O brasileiro teve uma performance impressionante. Mostrou porque será respeitado para sempre. Mereceu toda a torcida, os gritos de "Silva, Silva, Silva", dos australianos, torcendo muito pelo brasileiro. Mereceu ser aplaudido de pé. Com sua técnica impressionante, acertou jabes, cruzados em contragolpes velozes. Faltou a contundência que desapareceu com a idade. E, ousado, tentou vários chutes rodados, que passaram raspando a cabeça do nigeriano. Se um deles acertasse, a história seria outra.

Não houve nenhum golpe contundente, a não ser um cruzado de Adesenaya no início do combate. Mas a vitória do africano, por pontos, foi incontestável: 29-28, 30-27, 30-27.

 


Esta matéria possui 388 visita(s)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Deixar um Comentário

bar02_dot1x1_black.gif

 

 

 

 

 

 

 

 

Receitas

 

Notícias Topo

 

Paises

 

Gente

Aprender a fazer bisnaguinha, o item mais famoso das lancheiras

 

Passeata no Paquistão marca dia em homenagem à jovem ativista baleada

 

Festa no Maracanã! Brasil bate Alemanha nos pênaltis e conquista o ouro inédito

 

Claudia Jimenez deixa CTI e passa bem após cirurgia em hospital do Rio

Aprender a fazer bisnaguinha, o item mais famoso d...

 

Passeata no Paquistão marca dia em homenagem à jov...

 

Festa no Maracanã! Brasil bate Alemanha nos pênalt...

 

Claudia Jimenez deixa CTI e passa bem após cirurgi...


Esta notícia ja foi vista por 473 vez(es)

 

Esta notícia ja foi vista por 598 vez(es)

 

 

Esta notícia ja foi vista por 247 vez(es)

 

 

Esta notícia ja foi vista por 865 vez(es)

 

 

 

 

Paises

 

Portal

 

Galeria De Fotos

 

Mais Belas

Piadas fazem doadora de leite materno mudar de cidade, em PE

 

Comida saudável pesa no bolso, afirma estudo realizado no Brasil

 

Novo sistema viário da Zona Portuária vai estar completo em 2016

 

Carol Castro e suas curvas exuberantes em campanha de lingerie

Piadas fazem doadora de leite materno mudar de cid...

 

Comida saudável pesa no bolso, afirma estudo reali...

 

Novo sistema viário da Zona Portuária vai estar co...

 

Carol Castro e suas curvas exuberantes em campanha...


Esta notícia ja foi vista por 1113 vez(es)

 

Esta notícia ja foi vista por 565 vez(es)

 

 

Esta notícia ja foi vista por 715 vez(es)

 

 

Esta notícia ja foi vista por 333 vez(es)

 

 

 

 

 

Sem título













 

 

 

 

Empresa

 

Webmail

 

 

 

Últimos Comentários

 

Sem título

Fale Conosco

 

Departamento Comercial

 

Fale Conosco

 

Depto de Marketing

 

Suporte Técnico

Outros Interessantes

 

IPMET(Boletim do Tempo)

Trafego Aéreo

 

Últimas Notícias






Sites

 

A Casa Do Frete

Amigos Da Rede

Aquaponia Renaldo Ramos

Estiva Gerbi

Eu Penso Assim

Portal Aguai

Portal Eg

Portal Estiva Gerbi

Portal Holambra

Portal Mogi Mirim

Portal São João Da Boa Vista

Rcorp Data Center

Santuário Rosa Mistica

Secasa Gerenciamento Imobiliario

Serviços De Ti

 

 

 

 

 

 

 


Sem título

Portal Estiva Gerbi

Notícias, Informações E Entretenimento

 

19988702956 Whatsapp

 

Desenvolvido por Rcorp Data Center © 2019